Voltar à pagina inicial
ааааааа Busca Mundial Busca Portugalweb.net
ааааааа Busca Mundial Busca Portugalweb.net
Uniformes
Uniformes
ллллллллллллл













 
CEP - Corpo Expedicionário Português 1916 - 1918 (2ª Parte)

CORPO EXPEDICIONÁRIO PORTUGUÊS
1916 - 1918


UNIFORME DE CAMPANHA
UTILIZADO AQUANDO O EMBARQUE PARA FRANÇA

OFICIAIS

BARRETE
Modelo igual ao das Praças e Sargentos (fig.1). A fazenda com que era confeccionado era sempre igual à do uniforme, tendo os botões iguais aos do dólmanes. Francalete amovível de cor natural (couro). A pala sem brilho e da mesma core do uniforme. Os emblemas e números que se aplicam são de metal oxidado.

DÓLMAN
Abotoa ao meio do peito, por intermédio de seis botões cobertos por uma pestana. A gola, direita com 3 a 6 cm de altura, fecha por intermédio de dois ou três colchetes. As mangas são desprovidas de canhões e têm cada uma, dois botões pequenos. Na parte da frente ostenta quatro algibeiras grandes e muito folgadas, sendo colocadas por for a do dólman, tendo as inferiores uma dobra (fole) em toda a volta, fecham por intermédio de pestanas que abotoam por meio de botões pequenos de metal oxidado e do respectivo padrão. O dólman apresenta-se conforme a fig. 28.

Figura 28
As costuras das costas são interrompidas na linha da cintura, que tem dois botões, fig. 29.

Os dólmanes podiam ser confeccionados em três géneros de tecido, ao gosto do respectivo oficial: cotim de algodão ou lã ou de mescla de lã cinzenta igual à dos capotes.


Figura 29

COLARINHOS E PUNHOS
Brancos sem goma, uso facultativo.

CALÇAS, CALÇÕES, CAPOTE (SERVIÇO MONTADO), GREVAS
De modelo igual aos das Praças e Sargentos.

CAPOTE
De mescla cinzenta com duas abotoaduras, cada uma de seis botões do padrão respectivo.

Não tem presilhas na cintura, tem dois botões em cada manga. Além das duas algibeiras exteriores, colocadas na ligação das costas com as folhas da frente, tem mais três, sendo todos exteriores, colocados do seguinte modo: uma no lado esquerdo do peito, na altura do segundo botão, coberta por uma pestana com uma casa e um botão pequeno do respectivo padrão, e duas colocadas na altura da última linha dos botões, com as aberturas cobertas com pestanas, fig. 30.


Figura 30

PELIÇA
De pano azul ferrete apertado ao meio do peito por seis alamares de cordões duplos de torçal de seda preta com duas ordens de botões também de torçal de seda preta. Gola de voltar, tendo os cantos ligeiramente arredondados, sendo guarnecida de astracã e apertada por um colchete.

Tem três algibeiras, sendo duas laterais e um interior no lado esquerdo do peito.

A frente e toda a orla inferior são guarnecidas com uma faixa de astracã de 6cm de largura, assim como os canhões das mangas.
Tanto o peito como a orla da peliça, os canhões das mangas, as costuras das costas e as laterais, são orladas de um galão e espiguilha de seda preta. Tudo como a figura 31.

Foi autorizada a utilização da peliça com o uniforme de campanha, fig. 32.

Nota:
A peliça foi pintada com um azul mais claro afim de se poderem ver os pormenores. Entende-se por azul ferrete, um azul muito escuro, quase preto (Navy Blue ou Night Blue).

Figura 31
Figura 32

BIVAQUE
De pano azul ferrete forrado a seda preta, tendo na frente uma roseta de seda com as cores nacionais, fig. 33.

Figura 33

LUVAS
De pele de cavalo de tom avermelhado claro (uso facultativo).

BOTAS
Da cor natural do couro, fig. 34, para tropas apeadas e pretas, fig. 35, para serviço montado.

Figura 34
Figura 35

POLAINAS (SERVIÇO MONTADO)
De cabedal preto e fivelas envernizadas de preto, fig. 36 e 37.

Figura 36
Figura 37

ESPORAS
De ferro polido ou metal branco de apertar por meio de correia, fig. 38, ou de caixa, fig. 39.

Figura 38
Figura 39

OFICIAIS GENERAIS

Uniforme em tudo igual ao dos oficias, excepto:

CAPOTE
Igual aos dos oficiais, mas o de serviço montado, com gola vermelha.

BOTAS E POLAINAS
Igual aos dos oficiais, mas de couro preto.

PADRÕES PARA BOTÕES

A - Oficiais Generais;
B - Estado-Maior;
C - Engenharia;
D - Artilharia;
E - Cavalaria;
F - Infantaria;
G - Médicos;
H - Veterinários.
(Ver figura 40)

Figura 40

I - Farmacêuticos Militar; J - Administração Militar,
L - Secretariado Militar;
M - Quadro Auxiliar do Serviço de Artilharia e Engenharia;
N - Quadro Auxiliar do Serviço Saúde;
O - Serviço de Administração;
P - Picadores;
Q - Modelos de botões.
(Ver figura 41)

Figura 41

MODIFICAÇÕES EMANADAS DO C.E.P. DESDE 25 DE NOVEMBRO DE 1916 ATÉ 31 DE OUTUBRO DE 1918

BARRETE
O bordo da pala dos comandantes das Brigadas, do comandante da Base e de todos os chefes de serviços do Q.G. do C.E.P., dos Q.G. de Divisões e da Base, passou a ser orlado de um trancelim de ouro como o que estava determinado para o 1º barrete dos oficiais superiores.

Passou a ser permitido a todos os oficiais, durante o tempo chuvoso, o uso de uma capa impermeável no barrete, fig. 42, desde que não destrua a forma deste e cuja cor deveria ser cinzenta ou o mais aproximada possível dessa cor.


Figura 42

BIVAQUE
A sua utilização era expressamente proibida for a dos quartéis ou repartições ou locais de bivaque. Além da cor tradicional, azul ferrete, passou também a ser cinzento igual ao uniforme, fig. 43.

Figura 43

CASACOS DE ABAFO, IMPERMEÁVEIS, CAPAS E GOLAS
Passou a ser autorizado aos oficiais, for a da formatura de tropas, a utilização dos seguintes artigos:

- Casaco ou capa impermeável, fig. 44, que podiam ter as seguintes cores:
preto ou amarelo acastanhado, com botões da mesma cor.

Figura 44

- Casaco curto de lã, cinzento ou castanho, com botões da mesma cor.

- Casaco de peles, cinzento, castanho ou preto fig. 45 e 46.

Figura 45
Figura 46

- Aviadores, o uso de gola de peles, em substituição da de pano do capote, fig. 47, casacos de couro com golas de pele, fig. 48, 49 e 50.

Figura 47
Figura 48
Figura 49
Figura 50

LUVAS
Passaram a ser cinzentas, contudo foi permitido o uso de luvas castanhas, por falta das outras no mercado local (França).

COLARINHOS E PUNHOS
Passou a ser permitido o uso da cor cinzenta nestes artigos, desde que semelhante a cor dos uniformes.

GREVAS
A sua utilização era obrigatória para os oficiais apeados e permitida aos oficiais montados, o uso de grevas de cor cinzenta ou da que mais se aproximaria desta cor.

BOTAS E POLAINAS
Além das cores acima descritas, com o uniforme de campanha passaram a ser de couro natural, sendo facultativo o uso de amarelo. Foi igualmente permitido aos oficiais montados o uso de botas altas (de montar) de cor natural ou amarela. Além do calçado de origem inglesa de diversos modelos.

DISPOSIÇÕES DIVERSAS

DÓLMAN
Por despacho de 27 de Junho de 1917 do Ministro da Guerra, foi autorizado aos oficiais o uso do dólman cinzento com a gola voltada, idêntico ao usado pelos oficiais do exército britânico, com camisa e gravata da mesma cor fig. 51.

Figura 51

CAPOTE
De pano cinzento com uma abotoadura de seis botões grandes de metal oxidado. Tem quatro bolsos sendo dois colocados no peito exteriormente e outros dois abaixo do cinto, abertos horizontalmente e colocados interiormente. Todos fecham por intermédio de pestana com botão. Gola de voltar, fechando por intermédio de colchetes. De cada lado e na altura da cintura tem um passador. Nos ombros tem duas platinas. A orla inferior das mangas tem uma presilha que a envolve, esta é de pano da cor do capote, tem uma fivela revestida da mesma fazenda e é mantida por três passadores. O capote aperta por intermédio de um cinto com fivela revestida. O pano do cinto e do revestimento da fivela é igual ao do capote, fig. 52. Este cinto era substituído pelo cinturão quando o capote era utilizado em serviço.

Nas costas tem um macho que começa na costura da gola com uma abertura longitudinal a partir da orla inferior e a meio da roda que termina perto da cintura e tem uma pestana inferior, esta é fechada com quatro botões, fig. 53.

Este capote devido à racha que tinha na parte de trás que se podia abotoar ou desabotoar, podia ser utilizado no serviço apeado e montado.

Figura 52
Figura 53

AVIAÇÃO
Os oficiais ao serviço na Aviação, utilizavam o uniforme das Armas ou Serviços a que pertenciam, assim como os sargentos e praças especialistas.

DISTINTIVOS

BARRETES
Emblema da Arma em metal oxidado.

DÓLMANES
Os emblemas das especialidades, em metal oxidado, eram colocados no peito, do lado esquerdo e a meio do intervalo entre o primeiro e o segundo botão, fig. 54.

Figura 54

Figura 55 - Piloto
Figura 56 - Observador

Figura 57 - Mecânico


MATERIAL À CARGA DAS UNIDADES

- Capas impermeáveis.
- Casacos de peles
- Coberturas impermeáveis para barrete.
- Lençóis impermeáveis.
- Safões
- Barretes de lã para bivaque
- Cachecol.
- Luvas
- Camisolas de lã
- Dólman de lã
- Calções de lã
- Casacos impermeáveis.
- Botas impermeáveis.
- Luvas para trabalhos em rede de fio de ferro.


Pelo artigo 2º da Ordem de Serviço do C.E.P. de 11 de Novembro de 1917, foi publicada a lista de preços dos artigos de fardamento de origem inglesa, utilizados pelas nossas tropas que constava do seguinte:
- Botas de infantaria "Ankle". . . . . . . . . . 30,47 Francos
- " " " " F.S.". . . . . . . . . . . 50,77 "
- Coletes Cardigam (malha) . . . . . . . . . . . 9,66 "
- Peúgas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1,94 "
- Camisolas de lã . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6,18 "
- Ceroulas de lã . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5,52 "
- Camisolas de flanela . . . . . . . . . . . . . . . 9,66 "
- Faixas de flanela . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2,37 "
- Capas impermeáveis (mackintosh) . . . . 20,70 "
- " " para 1º barrete . . . . . . . . 2,37 "
- Botas impermeáveis de catechu . . . . . . 29,41 "
- Coletes forrados de peles . . . . . . . . . . . 20,70 "
- Jaquetas de couro . . . . . . . . . . . . . . . . . 18,52 "
- Luvas de lã . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1,60 "
- Barretes de bivaque . . . . . . . . . . . . . . . 1,21 "

 

Página Seguinte>>>
<<<(1ªParte)Página Anterior


 

Viriatus é uma marca registada da Arte Vila - 2001 todos os direitos reservados